News

Estudo de eficiência energética da Radix reduz 12% do consumo de energia elétrica total do AquaRio

Maior aquário marinho da América do Sul reúne experiências aquáticas com tecnologias inovadoras em um único espaço.

Aquario radix eficiencia energetica

Em 2016, a cidade do Rio de Janeiro passou por um processo de revitalização, principalmente na zona portuária, com o sucesso do Museu do Amanhã, a implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e a recente construção do AquaRio, maior aquário marinho da América do Sul. Em todos esses projetos, a Radix esteve presente atuando com soluções tecnológicas para agregar valor e surpreender os visitantes.

Com 26 mil m² de área construída e 4,5 milhões de litros de água, o AquaRio tem mais de quatro mil animais de 350 espécies diferentes em exposição. Uma das maiores atrações do AquaRio é o grande tanque oceânico. Com 3,5 milhões de litros de água, sete metros de pé-direito e um túnel passando por seu interior, a combinação da impressionante massa d’água, com a grande quantidade de peixes, proporciona uma experiência incrível. Além disso, há outros tanques secundários que compõem o circuito de visitação, além dos tanques de toque, onde o público, especialmente as crianças, pode interagir com animais como raias e tubarões bambu.

Para manter a estrutura do empreendimento, o AquaRio depende de grande quantidade de energia elétrica, tendo um consumo alto. Para melhorar a eficiência energética e reduzir custos, a Radix foi a empresa escolhida para realizar um estudo de eficiência energética na planta como um todo e identificar possibilidades de melhorias. De acordo com o diretor da Radix Paulo Armando, o primeiro passo foi instalar sensores Panoramic Power para medir a energia gasta em cada sistema e, assim, identificar os principais vilões. “Percebemos que um dos maiores gastos de energia estava no tanque oceânico, principal do AquaRio. Da energia drenada da rede elétrica, boa parte estava sendo perdida, gerando calor na tubulação e vibração da bomba e linhas. A eficiência da bomba atual é de apenas 18%, quando era esperado algo em torno de 60%”.

Segundo o diretor, o grande desafio do projeto foi encontrar os pontos de melhoria, descobertos pela Radix após um trabalho investigativo do corpo de engenharia da empresa realizado através do Panoramic Power.

Ao todo, o sistema de filtragem mecânica do Tanque Oceânico conta com 23 bombas. Ao otimizar o sistema e propor a troca das bombas, a Radix pretende gerar uma economia de 48% do consumo elétrico do sistema, acarretando em uma  redução em torno de 12% no gasto em energia elétrica de todo o AquaRio, além de aumentar a confiabilidade e segurança do sistema.  “Este sistema de filtragem é um dos mais importantes, pois por conta dos dejetos dos peixes, a água vai ficando suja. Para manter a água limpa para os animais e ainda garantir a visibilidade para o público, é necessário usar continuamente o sistema de filtragem. Então, conseguir otimizar e reduzir a energia gerada nesse processo, fez muita diferença na eficiência energética do cliente”, explicou o diretor.